30 de set de 2016

Look do Dia: Blusa Dora (da Francine Lacerda)!

Olá!

Depois de um dia de costuras muito especial no ateliê da Francine Lacerda (contei aqui), levei a minha blusa Dora quase pronta para casa.


Concluindo a Blusa

Precisei fazer novas mangas, pois as originais do tamanho G do molde não couberam nos meus braços avantajados, rs! Esse tipo de modificação não é novidade para mim, então foi fácil. Mas, para garantir, mudei o molde e fiz um piloto em morin para testar. Como deu certo, parti para o tecido definitivo.

Depois disso, era só fazer as casas nas costas, pregar os botões e a blusa ficou pronta! E muito fofa, por sinal!

Blusa pronta! 
Achei que o tecido casou super bem com o modelo!

Adoro este decote!

Mangas levemente bufantes, com franzidos no topo e uma prega na parte de baixo.

Fechamento nas costas com botões. 
Escolhi os meus bem grandes, para ficarem aparecidos!


Look do Dia

Resolvi estrear a blusa em um dia de passeio em família, quando fomos visitar a Expoflora, em Holambra. Sabendo que faria bastante calor o dia todo, fui de shorts jeans e uma sandália bem confortável.

Aliás, falando em conforto, fazia tempo que eu namorava esta Melissa verdinha e não a comprava pois não tinha certeza que usaria... Eu não tinha uma sandália assim aberta há anos, pois antes eu só usava sapatilhas quando não estava de tênis. Que bom que eu mudei de ideia, pois além de linda (na forma e na cor) é super confortável!

  
Pronta para o passeio, de blusa nova!


Blusa Dora: tecido de algodão Liberty (comprado no site Westwing). Peça costurada com molde da Francine Lacerda, em aula em seu próprio ateliê.
Shorts jeans: Hering
Sandálias: Melissa


Expoflora 2016

Eu costumava visitar a Expoflora com os meus pais quando era mais nova e há mais de 10 anos eu não ia até lá. A minha recordação era de um dia bem gostoso em família, numa exposição enorme de plantas e flores. Também tinha uma boa área de venda de plantas e flores a bons preços e não tinha muita opção para comer.

Quando voltei nesta edição, vi que muita coisa tinha mudado: ingresso caro (R$ 42,00/pessoa e R$35,00 o estacionamento), muita gente no local, as áreas de exposições diminuíram muito e as opções para comer aumentaram.

Nós todos gostamos do passeio mais pelo dia juntos e pelo almoço longo e em um lugar diferente. Mas não voltamos com nenhuma plantinha comprada, pois acabamos ficando cansados por conta do calor e da dificuldade de circular pelas exposições e outros ambientes (parecia que estávamos em uma procissão, rs), o que fez com que encurtássemos o passeio. Pois é, acho que é a primeira vez que eu conto sobre uma viagem meio "mico", né?! Acontece, rs!

Mesmo assim, registrei algumas boas ideias e composições que vimos! Nem tudo estava perdido!

Árvores com tamancos de madeira.

Um ambiente externo, com cara de piquenique. 
Queria deixar a varanda da minha casa assim!

 Linda composição!

Uma homenagem ao Rio, muito amor pelos guardachuvas no teto!


Enfim, esperava mais, mas valeu a pena mesmo assim. 
Fora que a blusa fresquinha deu conta do calorão!

Beijos!

29 de set de 2016

Tricô e crochê com lãs naturais!

Oi gente!

Já contei aqui sobre as lãs naturais que eu comprei na Dona Henriquetta Achutti, né?! Pois hoje vim mostrar para vocês as peças que fiz com esse material tão precioso.


Cachecol em tricô

Comprei uma meada enorme de lã cru de ovelha e tinha como encomenda um cachecol para o marido. Como ele é muito clássico, pensei em usar o ponto tricô mesmo e fazer um cachecol grande e liso para ele.

Quando estava terminando a peça, minha mãe ficou doida por ele e decidi presenteá-la com o cachecol. É muito difícil dar presente para ela e tenho que aproveitar quando ela gosta muito de alguma coisa que faço!

Resultado? A Julia ficou com ciúme e eu aproveitei o restinho de lã que sobrou para fazer um para ela, que adorou e já ficou usando!

Papai vai ter que esperar uma nova compra de lã!

 
Tal vó, tal neta: cachecóis iguaizinhos para clientes muito amadas.


Juloca de macacão novo (post aqui) com o cachecol que tinha acabado de ficar pronto...
Vejam que bom humor, rs!


Xale em Crochê

Além dos cachecóis, finalmente terminei meu xale, que falei aqui. Usei uma mistura de tons escuros, tentando imitar a receita do Ravelry, de onde tirei, mas o resultado ficou muito diferente, devido a espessura da lã, que é bem mais grossa.

 
Meu xale de vovó.

Detalhe do xale, com os pontos que usei. Uma belezura!

Todo mundo achou lindo mas muito quente e pesado, já que temos um inverno nem tão frio assim... Estavam totalmente enganados!

Tem feito tanto frio que meu xale já foi bastante usado, bem quentinho, uma delícia!


Novos projetos com lã

O plano agora é voltar na loja da Dona Henriquetta e comprar fios mais finos, para fazer um xale triangular, igual aqueles da vovó. Também quero comprar uma nova meada para o cachecol do marido. Pode deixar que venho mostrar a vocês!

Beijocas!
Ana

27 de set de 2016

Eu fui: Burda Expo 2016!

Olá!

No finzinho de agosto eu fiz um post contando que a Burda Expo deste ano estava chegando e que eu estaria por lá sem falta! Quem está sempre por aqui sabe o quanto eu sou fã da Burda Style e ter uma feira específica para corte e costura é bom demais!

Eu estive em dois dos três dias da feira (o primeiro e o terceiro), assim aproveitaria tudo com calma, além de participar do bate papo com outras blogueiras no último dia.


Primeiro dia

Visitei a feira no primeiro dia e até aproveitei para fazer um passeio no Snapchat (nesse dia foi só lá, apesar de também estar postando algumas coisas no Instagram Stories. Para garantir, me siga nas duas redes, o usuário é o mesmo: katialinden).

Para quem não conseguiu acompanhar no dia, subi este vídeo no meu canal do YouTube (já se inscreveu?). Estou procurando me aprimorar na edição de vídeos e este aqui está melhorzinho, rs!


Fui com tempo e, com isso, alguns encontros deliciosos aconteceram! Eu sempre digo sobre as pessoas especiais que a costura reune, né?! Então, este foi mais um desses dias muito especiais!

Eu e Cris Torchia, um encontro que demorou, mas aconteceu!

Xu Seixas (do Elo7), eu e Francine Lacerda
Praticamente uma gang das minas do cabelo rosa, rs!

Como eu já dei uma pista no vídeo, fiz uma oficina de customização de pulseira no stand da Lu Gastal. Ter um acessório novinho, feito pela gente e com a nossa cara é maravilhoso! Fora as boas companhias!

Mais encontros gostosos com Fran, Andrea Riserio e Julia Susigan!

 
Detalhes sempre caprichados no stand da Lu!

Ótimas companhias, bom papo e muita criatividade!

Lu Gastal, eu e a pulseira pronta!

No vídeo acima tem o "antes e depois" da pulseira. 
Aqui ela está prontinha, cheia de detalhes especiais!

No stand da Lu Gastal, também comprei um patch, uma Nossa Senhora Aparecida em biscuit para eu desengavetar de vez o projeto do Relicário (também da Lu) que tenho faz tempo, uma mini Tilda com chaveiro e alfinetes longos com a ponta de botão/carretel de linha!

Comprinhas fofas!

Antes de ir embora, rs, mais uma fotinho: 
Eu, Andrea Riserio, Lu e Fran!


Terceiro Dia

No último dia da feira, lá estava eu de volta, oba! Desta vez, levei as amigas Erika e Vanessa para plantar nelas a sementinha da costura de roupas, já que elas já mandam muito bem na costura de acessórios e no Patchwork, rs!

Dei uma volta com elas pela feira, foi bem gostoso! Lá no stand da Vitrine do Artesanatoque também vende os Kits Burda (com molde, tecidos, aviamentos e DVD com aula para montar uma peça da revista), comprei esta caixinha com linhas variadas da Coats Corrente. Já usei em dois projetos em que eu tinha tudo em casa, ou seja, não precisei sair nem para comprar linha!


 
Muita costura garantida!

 
Um outro encontro que finalmente aconteceu, no stand da Vitrine do Artesanato: a Ana Matusita!

Como eu já tinha visitado a feira com calma no primeiro dia, este último dia foi para apresentar a feira às amigas e para participar do bate papo com outras blogueiras e YouTubers, à convite da Burda.

Fiquei muito feliz em estar numa sala cheia de pessoas interessadas em saber mais da relação de nós todas com a costura (e o mundo craft em geral) e a internet. Cada uma das participantes tinha uma história particular com a costura e também um jeito muito especial de compartilhar tudo isso na internet, foi muito gratificante participar de algo assim!

Por isso agradeço à Renata Ruiz, editora da Burda pelo convite! Muito legal agregar tanta gente interessante num mesmo espaço!

 
Renata Ruiz recebeu a todas nós com o carinho de sempre! 
Lá em cima, Dayse Costa e Alana Santos.
Embaixo, eu e Josi.

Depois do bate papo, super descontraído, momento de muitas fotos!

Lá em cima, eu, Dayse e Fran. Eu e Alana.
Abaixo, com a Karina Belarmino e Mariana.

Quase todas juntas, faltou a Josi!
Aqui também tem as queridas Andrea Onishi e Claudia Fajkarz, do Superzíper!
Amei estar junto com elas neste momento, pois estão faz tempo nas internets e são inspiração para mim antes mesmo de eu me aventurar nas costuras!

Últimas fotos lá na feira, com Andrea Onishi, Fran, Claudia e Karina!
Lógico que eu não poderia esquecer as amigas queridas Erika e Vanessa, que sempre tornam esses eventos ainda mais animados!


Confira mais

Todo esse pessoal que apareceu aí em cima postou um tanto de coisas muito legais em seus blogs, canais do YouTube e redes sociais, vale a pena conferir, a empolgação não era só minha! Deixei os links para o Instagram de praticamente todo mundo, lá com certeza você encontrará mais formas de contato com esse pessoal maravilhoso!

Já estou na expectativa para a Burda Expo 2017!

Beijos!

23 de set de 2016

Look do Dia: Blusa com Pregas e Saia Calça (ambas da Burda Style!)

Olá!

Não via a hora de colocar o post sobre a análise de cores que eu fiz no ar, pois realmente os meus planos de costura, de tricô e de crochê foram redirecionados nos últimos dois meses!

Na verdade, o primeiro resultado já deu para ver no post de 2a feira, da blusa de chambrê, mas este post aqui tem mais duas peças muito especiais!


Saia-calça

Nos meus planos de costuras para o inverno (post aqui), contei que queria fazer uma saia-calça para substituir uma mini saia de malha que "já deu o que tinha que dar", rs! Quando comprei o tecido (2 metros de bi-stretch, um tipo de gabardine com elastano), eu ainda não tinha um molde definido, mas quando folheei a revista Burda de Agosto/16, encontrei o modelo ideal em uma pantacourt/calça culote que tinha um transpasse na frente. Era só encurtá-la que chegaria ao meu objetivo!

Modelo encontrado, oba!

"Mas, Katia, você não contou no post anterior que preto era uma cor que não te favorecia?", você pode estar pensando... Sim, é verdade, mas eu já tinha comprado este tecido de boa qualidade e não iria desperdiçá-lo, só iria encontrar uma nova forma de tirar proveito da peça pronta!

Lá fui eu tirar o molde da peça, que está na seção Plus Size. Quanto aos moldes da Burda, preciso dizer que sou uma privilegiada já que uso 46 na parte de baixo e 42 na parte de cima. Então todos os moldes - regulares e plus size - com os devidos ajustes, podem me atender!

Tirei o molde num tamanho intermediário entre o 46 e o 48 e ajustei para as minhas medidas acima da linha do quadril. Encurtei até ficar com 23cm no entrepernas e assim nasceu a saia-calça que eu queria há tanto tempo!

Saia na frente... Shorts atrás!
Os detalhes legais da peça: transpasse com amarração lateral (onde também tem um bolso) e fechamento com zíper invisível.


Blusa com Pregas

Já essa blusa estava na minha lista de projetos faz tempo, já estava com o tecido comprado desde o ano passado, inclusive. Revendo as minhas prioridades de cores, passei o projeto na frente e fiz a blusa rapidinho, pois não é um modelo complicado (ou seja, por que não fiz antes? rs!)

 
Bora fazer a blusa que estava esperando faz tempo?

Como eu sou menor na parte de cima do corpo e tenho pouco busto, modelos que tenham detalhes na região do colo são bons para mim, pois não criarão volumes "indesejados". A blusa é bem retinha e eu bem que pensei em acinturá-la um pouco, mas acabei deixando exatamente como estava no molde.

Dica: Usei o tamanho 42, que se assemelha ao meu tamanho de roupas compradas prontas. Mas, sempre que for tirar um molde, tire as suas medidas e compare com a tabela que está na revista, pois parece um pouco com a numeração de roupas nas lojas, mas pode variar. Assim você evita sustos depois!

O tecido é um algodão com seda bem macio num tom de azul lindo e maravilhoso. Assim, com um tecido levinho as pregas não ficam volumosas e a abertura da cava fica com um acabamento leve e bonito.

 
Blusa rápida de fazer com efeito lindo no final!

 
Detalhe do decote e das pregas horizontais.


 
Como fica o acabamento das cavas, bem levinho!

 
Coloquei duas aberturas nas laterais, por minha conta, para assentar melhor no meu corpo sem ter que fazer num tamanho maior.

Look pronto para vestir!


Look do Dia

Eu preparei este look para usar no dia do bate papo entre blogueiras na Burda Expo, mas não queria correr o risco de usar a composição toda e, em cima da hora, não ter certeza de ter gostado. Apesar que as peças estavam tão bonitas que eu fiz isso só por segurança mesmo...

Aproveitei um passeio ao Sesc Pompéia para estrear as duas peças de uma vez e vi que daria certo usá-las na feira quando chegasse o dia. Essa é uma ótima coisa de se preparar com antecedência, né?!

Em outros tempos, eu teria considerado usar a blusa apenas por dentro da saia-calça para realçar a cintura. Mas com a minha piração mais recente por cores que me favorecem, achei que deixá-la por fora mostraria mais o azul do que o preto, além de ficar mais descontraído. Foi assim que eu fui à feira, aliás (o post sobre a Burda Expo está a caminho!).

Não sou muito de usar cores muito contrastantes com preto, por isso gosto muito de combiná-lo com azul. Desta vez não foi diferente, gostei bastante!

Opção 1: Look com a blusa por fora da saia calça.

Assim ficou mais descontraído e destacou bastante o azul da blusa!


 Eu amei tanto essa blusa e a cor do tecido!

Opção 2: com a blusa por dentro da saia calça.

 Assim ficou mais acinturado e arrumadinho!

Gostei também!

Preciso acrescentar um comentário sobre um outro detalhe handmade do look: os brincos. Os lindos Alex e Edu, da Montageart, fizeram exclusivamente para mim, depois que fiquei babando pelas peças da coleção Botânica que eles estão vendendo. Só que eu queria com um inseto que não fosse dourado, rs! Eles chegaram a esta linda combinação em tons de bronze, rosa e azul, tudo que eu amo! O par virou "o jardim de Katia Linden", meu atual xodó!

 
Nem tenho mais o que comentar, só sentir amor pelos brincos, rs!

Recomendo muito conhecer a marca pelo Instagram, é uma lindeza atrás da outra! Tenho outras peças feitas por eles, sempre muito criativas, lindas e caprichadas!

Blusa com Pregas: Seda Jacquard Bicho (70% Algodão, 30% Seda) da loja Dona Dani (atual TexPrima), molde da revista Burda de Dezembro/2014.
Saia-Calça: tecido Bi-strech da GJ Tecidos (Centro - SP), molde da Pantacourt com transpasse da revista Burda de Agosto/2016, modificado por mim.
Espadrilles: Cervera
Brincos: Montageart

Gostou? Eu amei tudo!
Beijos e bom final de semana!

21 de set de 2016

Consultoria de Estilo: (Re)encontrando as minhas cores com a Ana Soares!

Olá!

Tem um assunto que vez ou outra eu abordo por aqui, até porque tem muito a ver com o que eu faço (ao costurar as minhas próprias roupas): análise de cores. Este é um passo importante para uma peça ficar um arraso, além da escolha do modelo e do tecido.

Quando conseguimos fazer as três etapas direitinho - escolher o modelo a ser costurado, o melhor tecido para ele e a cor ideal - a chance de usarmos bastante a peça depois de pronta é muito maior, concorda?

Eu já arrisquei montar cartela de cores para mim (a tentativa mais recente está aqui), mas depois das várias mudanças de cor de cabelo que me deixaram em crises momentâneas (rs) ao longo deste último ano, resolvi contar com uma ajuda profissional.

Já falei da Ana Soares, que tem o blog Hoje Vou Assim Off, várias vezes. Sou fã do estilo dela, de como ela lida com as questões sobre a moda e o consumismo e também de como ela conduz o trabalho de consultoria de estilo. Numa passagem dela por SP no final de julho, combinei de fazer com ela uma análise de cores.

Ana Soares, maravilhosa, sou fã!


Como funciona?

Assim como a própria Ana me contou:
"A análise da coloração pessoal é um importante guia na hora das compras e para direcionar melhor coordenações de cores e estampas das suas roupas. O objetivo da análise de cores é perceber as melhores cores para você. O sentido é encontrar quais tonalidades específicas vão servir melhor de moldura para o quadro que é o seu rosto.
As cores não tem que chamar mais atenção do que quem usa, mas coordenar com os tons que a gente já tem naturalmente. Suas cores acompanham, valorizam e harmonizam tudo que você é: cabelo, pele, olhos e personalidade!"
A Ana me pediu para ir ao encontro dela sem nenhuma maquiagem. Lá, com o colo e cabelos cobertos por um tecido bem neutro, ela estudou quais cores ficavam mais harmoniosas com o meu tom de pele, cabelo e olhos.

As cores que funcionam bem para nós geralmente nos deixam com a aparência mais descansada, saudável, leve e até disfarça ou atenua imperfeições como manchinhas.

O método usado pela Ana possui 12 cartelas, baseadas nas cores encontradas na natureza e nas estações do ano, muito legal!

No meu caso, eu sou bem branquinha e a minha pele é de fundo rosado. Juntando esta característica com os olhos e os cabelos claros (minhas sobrancelhas e meus cílios são ainda mais claros), dá para notar que eu não sou uma pessoa de contrastes e as minhas cores naturalmente são mais frias. Após uma observação bem cuidadosa, a Ana concluiu que eu sou da paleta verão puro / verão frio, composto de cores mais frias e menos contrastantes.

Achei esta cartela de cores tão elegante, que sorte a minha!

De cara, isso certificou a minha preferência pelo azul e pelo cinza. Confirmei também que preto e branco não faziam maravilhas por mim, assim como acessórios dourados. Outras questões de cores foram muito bem resolvidas também, pois existem muitas opções, como dá para ver acima!

De tempos em tempos eu conto um pouco disso tudo aqui, porque não é algo estático ou definitivo. O processo de vestir para quem é amador (porque não estudei moda, não sou stylist, nem consultora de estilo, mas amo pensar nas minhas produções) é sempre de tentativa-erro-estudo-acerto.

Desta vez, foquei em entender como as cores participam desse processo e, assim, investir no que funciona pra mim. Desde então, tenho pensado mais nas peças que amo, nas que uso pouco mas que agora enxergo mais potencial, nas combinações que eu posso abandonar para outras novas e melhores tomarem lugar.

Coloquei abaixo alguns looks do ano passado e deste ano, que já apareceram aqui no blog, para dar uma olhada mais crítica. Felizmente não me arrependo de nada, hehehehe, mas que em alguns deles tinha coisa para melhorar, ah... tinha sim!

 
Preto na blusa e nas unhas, suavizado pelo azul do jeans e pelo rosa do batom.

 
Nossa, como eu gosto deste look! 
As cores da blusa, do batom e do vestido (usado como saia) deram muito certo!
O preto da meia calça e das botas, por não estarem perto do rosto e por não serem contrastantes com a peça mais próxima, que é a saia do vestido, não impacta tão fortemente.

Blusa vinho-rosada e saia cinza escura: muito amor!
Mais uma vez, o preto da meia calça (e das botas que não aparecem nesta foto) não pesou tanto por não estar na parte de cima do corpo.

Tanto amor por esse look: cores clarinhas que funcionaram super bem juntas, com um rosa mais forte no batom e na estampa da blusa cinza! Usar tudo mais clarinho me agrada muito!

Um look que eu amo (e continuo usando) apesar de agora me parecer meio "polêmico" por causa da camiseta amarelona, rs! Mas acho que as cores do lenço, do macacão e do batom suavizaram!

Eu adoro a composição das peças do look, mas dá para ver como eu fico muito pálida usando preto na parte de cima do corpo, não dá?

Outro look do amor, no último Reveillon: as cores da estampa ajudaram muito!
(Ah, se esse cabelo cinza tivesse funcionado no dia-a-dia, eu gostei tanto...)

Tem preto no look? Tem! Mas tem estampa rosa, jeans azulão e batom rosado! 
Eu sabia que a fase do cabelo mais pro dourado não ia durar muito e lidei bem com ela, pois queria outra cor para mim!

Um dos meus últimos looks ainda ruiva e um dos meus preferidos, porque está quase monocromático, com bastante rosa (seria este um sinal? Rs!)

Sim, o cabelo ruivo era lindo, mas hoje eu acho que eu ficava muito pálida com essa cor. 
Minhas sobrancelhas mal aparecem também.
Já todas as outras cores todas do look me agradam, continuo usando tudo!


Lidando com as novas informações de cores

No dia da análise, o meu choque foi saber que vermelho e amarelo "gema" não eram boas cores para mim. Logo eu que andei experimentando vestir mais amarelo e eu que adoro um batom vermelho. É fundamental lembrar que estas não são regras fixas e, quando a gente gosta e quer usar uma cor fora da cartela, tem como dar um jeito: usando combinada com uma cor da cartela ou usando-a mais longe do rosto.

Na maquiagem, por exemplo, não uso delineador preto faz tempo. Troquei por um tom de beringela e notei o quanto ele pesa bem menos na minha fisionomia. Para o dia-a-dia, uso um lápis desta cor esfumado perto dos cílios, bem mais rápido de fazer que o traço de delineador, funciona muito bem para mim.

Por outro lado, não vivo sem rímel preto, mesmo sabendo agora que um rímel marrom seria mais indicado. Primeiro porque eu amo rímel preto e também porque não gosto de usar rímel muito carregado, então não acho que atrapalhe o resultado final da maquiagem.

E o batom vermelho? Dá para usar sim, mas tenho me sentido muito melhor com batons rosas, corais ou cereja. Vejo que hoje em dia uso bem menos maquiagem e aparento estar mais corada com as cores ideais.

Quando procurei a Ana, confesso que o fiz porque estava bem perdida em relação a que cor usar em tudo, mas principalmente no cabelo e nas roupas. Estava me sentindo bem apagada, sabe? Que bom que isso já mudou!


A polêmica da cor do cabelo ideal

E aí eu chego num assunto meio polêmico: o cabelo. Digo polêmico porque ouvi de tudo um pouco no último ano quando resolvi deixar de ser ruiva e precisei me manter firme no meu propósito para não me abalar durante o processo.

Eu amei ser ruiva por cinco anos, mas simplesmente um dia enjoei, não queria mais. No dia da análise da Ana, foi um choque ver que o vermelho/alaranjado/cobre não era bom para mim. Foi um choque, mesmo! Por um minuto achei que tinha feito tudo muito errado por muito tempo, rs!

Mas alguns dias depois, revendo fotos antigas, vejo o quanto eu ficava pálida com tanto contraste em relação às minhas cores naturais: cabelos ruivos, delineador preto, batom vermelho. Eu usava um monte de maquiagem em cores muito fortes para mim e tudo isso aparecia mais do que eu mesma!

Essa constatação minha agora é fácil de contar, pois já passou um tempo e eu já absorvi tudo isso, mas tive pequenas crises neste aprendizado também, como se eu tivesse feito tudo muito errado por bastante tempo, como eu disse acima. Mas aí é que está, não tinha nada tão errado, nada disso é imutável e aqui estou eu buscando a minha melhor versão.

(E bora descontrair: tem muito mais coisa errada acontecendo no mundo do que a cor da roupa, da maquiagem ou do cabelo, concorda? Rs!)

Sem esse estudo todo por trás, quase que intuitivamente, mas por questões práticas também, cheguei ao cabelo rosa, que eu nunca imaginei ter, mas que hoje me faz absurdamente bem. Eu não precisava deixar de ter cores coloridas no cabelo, só precisava encontrar a uma nova cor bacana.

Eu tinha pintado o cabelo de rosa pela primeira vez alguns dias antes da análise e fiquei com receio de que eu tivesse dado um outro passo errado. Mas eu estava me sentindo linda desde então, o que era um bom sinal. E assim como foi chocante saber que vermelhão ou amarelão não ficavam bem para mim, foi chocante positivamente ter acertado na minha cor nova de cabelo, que eu não pretendo mudar por enquanto.


Look do Dia

Na primeira oportunidade que eu tive de colocar isso tudo em prática, eu pedi para o marido registrar. Fiquei um tempão escolhendo roupas, pensando loucamente nas cores. Fiquei com medo de me sentir engessada, mas agora já passou. Nesse (re)início, o marido disse até que eu estava meio que obcecada com o assunto, rs!

Todas as cores trabalhando a meu favor. 
Dá para notar que pareço até mais corada?
O branquinho do tênis não está na minha cartela, mas está bem longe do rosto, então continuo usando!

Percebi que até as minhas sobrancelhas voltaram a aparecer, sem tanto contraste perto do rosto!
E a jaqueta jeans com o Patch de New Orleans que eu não tinha mostrado ainda em um look?

 
O olhar de quem está se sentindo feliz consigo mesma! Rs!

Neste dia fomos na Feira na Rosenbaum, cheia de designers interessantes e super bem selecionados, para procurar algumas coisas para casa. Para quem é de São Paulo, recomendo muito a visita, algumas coisas que comprei lá em outra edição ficaram ótimas no meu quarto (post aqui).

Mas para a minha surpresa, nesse dia, uma senhora muito estilosa (que acho que era uma expositora da feira) me fez um elogio que me deixou nas nuvens: "suas cores todas são tão lindas!". Missão cumprida ou não?


Novos caminhos para o armário handmade

E, desde então, voltou a ser legal pensar no processo de me vestir e, consequentemente, de costurar, tricotar ou crochetar. Não me sinto presa, me sinto mais livre pois tem uma porção de cores que eu nem dava bola e que agora me permito testar, experimentar, combinar com outras.

A hora de tirar uma peça antiga do armário também ficou mais fácil, pois o critério de cor passou a ser tão importante quanto se a peça estava sem uso, se ela me veste bem ou se ela serve para a minha vida atual.

Várias peças pretas já saíram do armário nos últimos meses, sem dó. Já uma camiseta amarelinha divertida que já estava quase saindo da gaveta, por outro lado, ganhou uma nova chance.

Eu recomendo muito este serviço de análise da Ana mas, se não for possível para você, pense com carinho naquelas peças que você mais usa e se sente linda, veja de que cores são. Olhe no espelho e veja como estas cores trabalham para ressaltar suas qualidades naturais. Aposto que você já vai dar um passo certo nesse sentido!

Amando as cores mais que nunca!

Aliás, a Ana fez recentemente um post super legal sobre combinações de cores que serve para todo mundo, este aqui! E a Thais Godinho, parceira da Ana em alguns workshops (que eu ainda quero fazer), também fez a análise de cores e conta aqui como foi (com o ponto de vista de ser sobre outra cartela de cor).

A partir do próximo post, as costuras que fiz já têm esse novo direcionamento. Também me ajudou a escolher os materiais para os próximos projetos de tricô e de crochê. Tem sido muito legal desengavetar tecidos que antes eram dúvida, pensar em uma boa solução para a cor não tão favorável para não desperdiçar um bom tecido. Não está sendo sofrido, aliás, tem sido muito gostoso!

Fico feliz de compartilhar essa descoberta tão importante para mim por aqui, espero que seja útil!

Beijos!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails