29 de abr de 2014

Etsy, um amor de portal


Oi gente!

Hoje vou falar do Etsy, vocês já conhecem?

Etsy é um portal de compra e venda na web, muito semelhante aos brasileiros Elo7 e Tanlup no sistema de funcionamento. As semelhanças param por aí porque no Etsy você encontra produtos artesanais super originais, modernos e de bom gosto (para o meu gosto!).

Veja a descrição sobre o Etsy que está no site:
"Etsy é um mercado em que as pessoas ao redor do mundo se conectam para comprar e vender bens únicos. Nossa missão é re-imaginar o comércio de forma a construir um mundo mais gratificante e duradouro."

A outra característica do Etsy que me arranca suspiros é que este portal vende tecidos e outros suprimentos de costura e, claro, com entrega no Brasil!

Recentemente o site foi todo traduzido para o Português e entre suas opções você pode acessar os preços em Reais, o que é bem importante para não perder a cabeça durante as compras.

Sou super fã, já comprei e continuo comprando tecidos, moldes, cortador, alfinetes etc, etc...

Mas não estamos no paraíso e claro que nem todas lojas entregam no Brasil, ou ainda, entregam, mas cobram taxas abusivas para isso, de modo que sua compra acaba não valendo a pena. Então é importante pesquisar e simular a compra para conhecer o valor do frete.

Além disso, precisamos contar com a boa vontade do correio brasileiro, o que é um assunto a parte. De todas as comprar que fiz até hoje em apenas uma ocasião não recebi o produto. Entrei em contato com o vendedor que rapidamente rastreou meu pedido e me enviou o comprovante que indicava a chegada do produto ao Brasil. Ele se prontificou a devolver meu dinheiro e se desculpou pela inconveniência de não receber meus produtos, o que sabemos, não é culpa dele, já que extravio ou estrago de encomendas no correio brasileiro é algo comum. Outra questão é o tempo de entrega que geralmente (pasmem!!!) é de 3 meses...sim, eu disse 3 meses, estamos na época das cavernas!

Após a compra que não recebi, criei o hábito de acompanhar meus pedidos que, geralmente demoram no máximo 3 dias para serem enviados E 3 MESES PARA SEREM ENTREGUES!!! Juro, só no Brasil mesmo... difícil viu?

Mas voltando às coisas boas, os vendedores são geralmente muito atenciosos e nunca me deparei com desonestidade. Já tiveram a pachorra de me devolver US$0.83 via paypal por ter sido cobrado a mais, pela entrega. (Eu não sei como esse cálculo é feito, mas achei bastante honesto da parte do vendedor que me ganhou como cliente fiel).

Abaixo vocês encontram uma listinha das minhas lojas preferidas de tecidos do Etsy. Nos próximos posts falarei sobre moldes e aí passo as lojas do Etsy que vendem estes materiais. Entrem, fucem, divirtam-se e depois me contem aqui o que acharam, tá?

Stash Modern Fabric


Já comprei inúmeras vezes e sempre sucesso total. Tem tecidos (maioria algodão, mas também um pouco de linho e flanela) americanos, japoneses maravilhosos e modernos!! Eu babo sempre que entro... não tem uma vez que não queira um monte deles!!!

Tem uma sessão muito amor de ofertas (sou fã dessas sessões!!!!) e o menor tamanho que eles vendem é meia jarda (sistema de medidas americano), que corresponde a aproximadamente um corte de 45cm X 111cm, além dos famosos kits de Fat Quarters, tão amados pelo povo do patchwork!


Bello Berry Fabric Shop


Muito parecido com a loja de cima, já comprei várias vezes e fui muito feliz em todas elas. Vendedor super atencioso, boa variedade de tecidos em algodão americanos, japoneses e australianos. Também tem sessão de ofertas (adoro!) e vende no mínimo meia jarda.

Seus tecidos vem cuidadosamente embalados em papel de seda, um pacote de papel grosso por fora e um bilhetinho caloroso do vendedor, agradecendo a compra que, pra mim, faz toda a diferença!


Moona Fabrics


Outra loja que eu sou fã! Excelente atendimento e variedade, a maior parte dos tecidos é de algodão, mas tem também tecidos mais pesados para decoração. As sessões estão divididas pelo tipo de estampa como bolinhas, listras etc, o que facilita a sua vida quando você quer encontrar algo específico. Recomendo!


Pink Door Fabric


A loja é ótima e oferece uma infinidade de opções de tecidos, além de moldes e outros acessórios para costura. Nela você também encontra tecidos orgânicos, que já são moda fora do Brasil, mas ainda raros por aqui. Nem preciso dizer que amo a sessão intitulada “sale, sale, sale”, né?


Beijoca,
Ana

28 de abr de 2014

Costuras da Semana!

Olá!

Pois bem, as costuras da semana passada foram muito especiais, como já adiantei neste post aqui. Estive em Porto Alegre por 3 dias, voltei com costuras lindas e mais coisinhas para o meu quartinho de costura!

Antes da viagem, na aula de Patchwork, prossegui com os trabalhos em Foundation. O bloco que vai formar uma tesoura está tomando forma e acho que semana que vem consigo mostrá-la por aqui.

Não cheguei perto de nenhuma costura de roupas, em função de não ter tido aula na semana passada e também por conta da viagem.

Enfim, de 5a feira à sábado eu "bati cartão" lá no estúdio Lu Gastal. Fiz quatro aulas deliciosas que resultaram em duas bonecas lindas (sim, agora eu estou certa que gosto de fazer bonecas também, rs!). Uma Chapéuzinho Vermelho e uma Frida Kahlo - fofíssimas - agora moram em minha casa.

Chapeuzinho Vermelho

 Eu amei o rostinho feito com detalhes bordados à mão. 
Tem até presilha no cabelinho!

 E uma Frida Kahlo, finalmente me rendi a ela!

 Dedinhos do pé que me encantaram e saia dupla.

 Frida com com tudo o que tem direito: 
cabelinho trançado, enfeitado com flores de feltro e a famosa "monocelha".

Roupinha caprichada, com renda e xale!

Além das bonecas e de alguns mimos para presentear, vieram na mala também:

Tecidos: os que estão atrás foram usados para a produção das bonecas e os dois tecidos da frente eu escolhi para projetos futuros.

Tesouras: comprei duas tesouras de titânio, que não necessitam de afiação.

Botões: sortidos na forma e na cor para enfeitar meu projeto do potinho em Foundation

Capa para almofada: esta citação me encantou, assim como o bordado à mão e o tecido estampado de paisley que eu adorei!

Comprei também o projeto do Lobo Mau, para fazer em casa e formar par com a Chapeuzinho.

E antes de ir embora, mimos lindos da Lu Gastal: 
tecido lindo, postal escrito à mão e um pingente de coração que, segundo a própria Lu, representa um pedaço do coração de cada uma da super equipe: Lu, Marta, Fabi e Lais! Não é fofo?

Meu turismo costurístico se resumiu somente (e foi mais que suficiente) à Lu Gastal, como ela bem disse foi uma imersão mesmo, mas o restante dos passeios eu vou contar em outro post.

De volta para casa, tive e terei que correr para colocar a vida em dia, mas espero poder costurar bastante durante o feriado!

Beijos, boa semana mais curta (de novo) e boas costuras!

23 de abr de 2014

Pensamentos de uma costureira viajante

Olá!

Comecei a pensar neste post ainda no avião, a caminho de Porto Alegre. A missão da vez: visitar o estúdio Lu Gastal e lá aprender mais sobre costura. Nas mãos, o livro da vez: "O tempo entre costuras", que tem sido uma ótima companhia nos últimos dias. 

Não gosto de viajar de avião. Hoje em dia eu "só" não gosto, mas antes eu tinha medo mesmo. Até que passei a entender que é através dele que certos (e muitos) destinos se tornam acessíveis. Continuo não gostando de ver minha mala despachada indo embora na esteira da companhia aérea, fico muito apreensiva enquanto ela não aparece após o desembarque e não gosto da espera toda. Em vôos longos, só tomando um ou dois comprimidos de Dramin para me fazer capotar, senão não prego os olhos a viagem toda.

Não gosto do aeroporto de Congonhas, sempre tive muito medo de decolar ou aterrissar ali, com a cidade toda em volta. Mas entendo que é necessário, engulo seco, fecho os olhos, rezo um bocado e bola pra frente.

Na mesma noite chego em Porto Alegre e, quando me reconecto, já tem mensagem da Lu Gastal perguntando se cheguei e se fiz boa viagem (sim, felizmente!). Já me sentindo bem recebida, li um pouco antes de dormir e uma das leituras foi um post sobre lembranças muito gostosas de acompanhar lá no blog da própria Lu.

Quando eu comecei o blog, eu pensava duas vezes se colocava posts sobre mim ou se deveria expôr a minha opinião sobre algo. Pensei mais ainda se postaria "looks do dia", mesmo que o intuito fosse apenas de mostrar alguma roupa que eu tenha feito. Será que eu não estaria entrando num campo muito pessoal? Será que alguém vai dar bola para o que eu ando matutando longe da máquina de costura? O que vão pensar de mim (pois não passo nem perto de ter um corpo de modelo) e das minhas roupas? Resolvi arriscar e neste um ano e pouco eu recebi muitas respostas positivas e muito carinho, ufa!

Pensando na Lu Gastal, a costureira super criativa não é uma pessoa separada da moça das lembranças bacanas, da moça que faz os melhores biscoitos (que eu preciso fazer qualquer hora dessas também). Tenho certeza que posso tomá-la como referência neste assunto. É muito legal ver os projetos do estúdio e os Patch Encontros, assim como sempre vale a pena ler um pouco mais sobre a pessoa que a gente admira. Eu acredito que isso diminui distâncias, que deixa a gente mais próxima quando não dá para entrar um avião para passar um tempinho juntas numa casa de sonho de um bairro tão simpático no Sul do Brasil.

Feliz pela oportunidade de viajar mais uma vez (coisa que amo, apesar do avião) para poder costurar (nem preciso dizer o quanto amo), fui dormir sabendo que os próximos dias prometiam ser muito bons!

Fui recebida ontem de manhã pela Lu e suas fiéis escudeiras com abraço apertado e beijo daqueles bem dados na bochecha, uma delícia! Já pude também conhecer um pouco de Porto Alegre e adorar. Mas essa parte vai ficar para um post de "Viagem com Costura".

Quer recepção melhor que essa?

Não tem jeito, não consigo dissociar a costureira aprendiz de todo o restante que eu também sou: "blogueira", estudante, viajante, esposa, filha, amiga, admiradora, curiosa. O receio do início já não existe mais e aqui acabou sendo o lugar em que eu me exponho mais livremente.

Beijos e até a volta!

Livro do Mês - Design-it-yourself Clothes

Olá!

Estou de volta para falar de um livro chamado “Design-it-yourself clothes” que traduzido para o português fica mais ou menos assim “Crie suas próprias roupas.”


Eu tenho esse livro faz tempo, comprei na época que fazia aula de modelagem com minha querida mestra Isa e após adquirir alguma experiência na costura resolvi me enveredar pelo caminho da modelagem. Minha idéia era conseguir fazer os moldes de peças infantis e, posteriormente, minhas roupas a partir das minhas medidas.


Infelizmente acabei tendo que deixar as aulas da Isa e aprendi só o comecinho desse longo caminho que é criar e desenhar os modelos, mas deu para ter idéia do quanto isso me interessa... e esse livro foi um ótimo começo.

A autora, Cal Patch, é professora de modelagem em Nova York e dona de uma marca de roupas chamada Hodge Podge. Ela é super fofa e, além de ser bom, o livro é uma delicia de ler.

O livro traz 5 projetos centrais com 4 variações cada: vestido, camiseta, camisa, calça e saia. Mas diferente da maioria dos livros desse gênero, ele não traz os moldes prontos e sim o passo a passo para você desenhar seu próprio molde, com suas medidas.

A primeira parte fala sobre o que você precisa antes de começar: toda a parafernalha necessária e ainda um guia para você tirar suas medidas corretamente. Na segunda parte você encontra o passo a passo dos projetos: são bem detalhados e com ilustrações super didáticas, super fácil de entender. E a última parte fala sobre customizar, ajustar e fazer a gradação dos projetos (a gradação é aumentar ou diminuir um molde para diferentes tamanhos).


Escolhi o projeto da saia para começar. É uma saia simples de corte reto, mas com um acabamento super bacana. Comecei pedindo ajuda da minha mãe para tirar minhas medidas (é muito difícil tirar as próprias medidas, eu não aconselho, pede para alguém te ajudar!) e comecei a desenhar a minha saia. Com o molde pronto, parti para o corte do tecido e a costura, seguindo o tutorial, que é bastante simples, mas suficiente na minha opinião. Aí está o resultado:

Saia do livro - Minha saia!

Olha que eu sou chata pra caramba e fiquei super feliz com a saia pronta, super aprovado!

Pra finalizar, queria dizer que além de ser uma leitura deliciosa e de ter um ótimo conteúdo que, no meu caso, atingiu todas as minhas expectativas, ele é lindo, tem um layout moderno e fofo. Eu super recomendo!

Beijoca!
Ana

Serviço:
Livro: Design-it-yourself Clothes - Patternmaking Simplified (em inglês)
Autora: Cal Patch
Editora: Potter Craft / Random House
Ano: 2009

22 de abr de 2014

Costuras da Semana!

 Olá!

Espero que você tenha tido um ótimo feriadão!

Entre momentos com a família, com o marido e a recuperação de um piriri que eu tive, praticamente não consegui costurar. Na verdade, só ontem. Por isso as costuras que andaram na semana passada foram só as das aulas.

Na aula de Patchwork, terminei o bloco em Foundation que formou um potinho (depois vou colocar alguns botões nele para enfeitar). Nesta semana comecei os trabalhos do bloco que vai formar uma tesoura.

Pote fofinho!

Na aula de costura, prosseguimos com a blusa de seda. Acertamos a gola e o decote para o meu corpinho nada delicado (rs), além de fazer um ajuste nos ombros. Falta pouco para acabar: fazer punhos e casas, colocar os botões e fazer a barra. Quero tanto usar!

Falta muito? Tá chegando?

Eu finalmente consegui separar um tempinho ontem para brincar na minha máquina de overloque. Consegui passar os fios e linhas com facilidade e, consultando o manual de instruções, consegui ajustar a tensão deles todos para costurar em uma malha.

 1, 2, 3, testandooo!

Primeiros passos dados com o brinquedo novo, já iniciei um projeto rápido usando malha para colocá-la de vez em uso, uma saia lápis (!!!), essa aqui:

 Saia nova a caminho!

E na 6a feira Santa eu usei meu vestido Crepe novo!
Gostei tanto quanto do primeiro, mas este ficou melhor acabado. Nada como praticamente um ano de diferença entre as duas peças para poder avaliar os progressos!

 Para relembrar, o primeiro vestido Crepe que eu fiz foi este aqui.
Gosto dos dois o mesmo tanto!

No sábado eu visitei a Ocupação Zuzu Angel, no Itaú Cultural. Vou ter que fazer um post só sobre esse assunto, mas adianto desde já que adorei e me emocionei muito!

 
 Moda e história

Ah, teve mais uma estreia! Ontem saí para jantar com o marido usando a saia de lã com babados, amei também!

Que tal? Eu adorei!
Beijos e boas costuras!

17 de abr de 2014

A louca dos tecidos... Será?

Olá!

Um ano atrás eu fiz um post mostrando meu estoque de tecidos naquela época. Sim, quem costura sofre para ficar longe de novos cortes, rs! Eu mesma comprei vários tecidos recentemente, na feira de Patchwork, por exemplo.

Tecidos comprados na feira de Patchwork. 
O quarto tecido já entrou no projeto de Foundation das aulas de Patchwork.

Em vez de fazer um novo post sobre os tecidos "estocados" que eu tenho no momento, eu resolvi ver o que não saiu da caixinha de tecidos novos no período de um ano. Sim, eu meio que me conformei que um "estoque" sempre vai existir, porque aproveitei uma promoção, porque comprei numa feira, porque ganhei de presente, porque simplesmente achei lindo, porque comprei em uma viagem...

 Outros tecidos comprados na feira de Patchwork. 
O tecido de baixo já virou um quimono!

Aí é que está, o estoque permanece, mas tem rolado uma rotatividade: todos aqueles tecidos que mostrei um ano atrás saíram da caixa e viraram peças bem legais que eu gosto muito de usar! Assim pode, né?! Lá na retrospectiva de um ano do blog (aqui, aqui e aqui) dá para ver!

O bom de ver que o estoque foi girando (que papo de empresa, rs) é que as compras foram bem feitas, nas cores, texturas e estampas que eu ia adorar usar ou presentear.

E eu sempre fico de olho, se a caixa de tecidos novos está lotada, é sinal que não está na hora de comprar novos cortes. Hoje em dia, confesso, a caixa está cheia e "transbordou": fora dela tem uma sacola com os tecidos que vou precisar para terminar a minha colcha, um pacote com uma lã linda que vai virar uma capa de inverno e outro pacote com material para um próximo quimono. Ao menos, todos os tecidos que estão "a mais" já têm destino certo. E, não, não vai ter uma segunda caixa para guardar tecidos novos, assim eu não me habituo a comprar mais porque teria onde guardar.

Tecidos para terminar minha colcha de hexágonos. 
A hora deles vai chegar!

Então, deixo aqui a sugestão: Vamos olhar nossa caixinha de tecidos (e usar o que já temos) antes de comprar algum tecido novo?

Beijos, boas costuras e uma ótima Páscoa!

16 de abr de 2014

A colcha do Noah - detalhes finais

Olá!

Para encerrar esta série de posts sobre a colcha do Noah (os outros posts são este e este), mostro como fiz o quilt e o fechamento da peça, como embalei para enviar para os papais ansiosos e sobre os cuidados com a peça.

Depois de feitos os bordados em Sashiko, parti para o fechamento da colcha, que contou com o recheio de manta resinada e com as costas no mesmo linho azul que usei nos quadrados que foram bordados.

Para o quilt cumprir a função de juntar todas as camadas e ainda permanecer discreto, já que a "emoção" toda eu quis deixar para o bordado, optei por quiltar apenas as partes em azul, assim combinariam com o fundo.

Resgatei a sapatilha de costura na vala, que contei aqui que eu ainda não tinha me adaptado muito. Depois que descobri como fazer alguns ajustes finos na posição da agulha, eu consegui tirar melhor proveito dele e o resultado ficou muito bom, do jeito que eu queria:

Pronta! Vivaaa!

Terminada a colcha, fui pensar em um embrulho que fosse útil quando a colcha não estivesse em uso e que não chegasse muito amassado ao destino (já que enfrentaria muitas horas dentro da mala da vovó Sonia).

Fiz um saquinho em tecido listrado e coloquei fitas decoradas com pespontos para amarrar na abertura. Para deixar com cara de presente, um cartão que seguiu dentro do pacote e por fora uma faixa de papel craft toda carimbada (estou viciada nesses carimbos, rs!)



Pode seguir viagem!

Tão importante quando pensar na construção e no transporte da colcha, pesquisei sobre como cuidar do linho para que ele conservasse ao passar por lavagem. Quando fazemos algo do tipo, é sempre bom pesquisar como e se pode lavar o material e também como passar. Se for para dar de presente, é legal fazer um bilhetinho avisando!

Como a colcha é feita em linho, pesquisei no meu livro da Burda, que tem uma parte muito boa falando sobre as características dos tecidos e quais cuidados devem ser adotados para cada um. Neste caso é indicado que seja lavada a seco ou então lavar com sabão para roupas delicadas. Por último, pode ser passada com ferro quente e com vapor, já que costuma amarrotar e o tecido suporta tanto o calor quanto o vapor.

Projeto concluído, presente já entregue, oba! Que delícia!

Vamos então para a última trilha sonora, inspirada pelo recente Lollapalooza. Noah, mais músicas de gente que adoro e assisti em festivais, pra você!

Audioslave, super banda formada por Chris Cornell (do Soundgarden) e por quase todos os integrantes do Rage Against The Machine. 
Vi as duas bandas separadamente em festivais, que delícia! E eu amo essa música!

Joan Jett, minha rainha! Emoção para a vida ter visto de pertinho!

Uma das minhas bandas do coração, Foo Fighters! 
Porque a gente merece música legal e vídeo divertido!
(Adoro os momentos: "quero batata frita sim, obrigado!" e "não, não roubem minha guitarra!")

Noah, Ane e Gu, espero que vocês recebam todo o amor dos titios postiços através da colcha e destes posts!

Beijos!

15 de abr de 2014

Costurando para os pequenos!

Oi pessoal, como estão?

O post de hoje é sobre um assunto que eu amo de paixão: costurar para os pequenos.

Para quem se encanta com as pequenas pecinhas de roupas feitas para bebês e crianças, a boa notícia é que falaremos bastante sobre isso aqui no blog.

Vou falar sobre os meus blogs preferidos, fazer reviews de moldes que eu compro pela internet e de livros sobre costura de peças infantis além, é claro, de mostrar minhas criações aqui pra vocês! Assunto é o que não falta!

Os projetos infantis são muito interessantes para quem quer começar a costurar pois são pequenos e de finalização rápida. Mas o que mais me atrai nesses trabalhos é que são extremamente divertidos porque você exerce sua criatividade e literalmente brinca de bonecos(as)! A costura pode ser simples, mas você pode criar mil embelezamentos e com isso, praticar diversas técnicas de costura, avançando gradualmente para projetos mais elaborados.

Outra grande vantagem é que com o mínimo de tecido e material você consegue criar maravilhas. Minha filha está com 3 anos e eu ainda consigo fazer blusas e saias com apenas um quarto de metro! E se você for "mão de vaca" ainda vão sobrar retalhinhos para detalhes em projetos futuros! Como sou doida por tecidos (que costureira não é?) vivo fuçando os sites gringos em busca de preciosidades para confeccionar as roupas da minha pequena (falarei disso mais adiante) e com pequenos pedaços consigo fazer a festa!

Pequenas peças são também um ótimo treinamento para quem quer fazer peças para adultos. É claro que para vestuário adulto são necessários conhecimentos costurísticos mais avançados, mas a experiência em seus projetos para pequeninos certamente contribuirá para sua autonomia em confeccionar vestuário adulto.

Em especial costurar para as suas crianças é um jeito muito bacana de demonstrar carinho que, dependendo da idade, a pessoinha presenteada pode até participar da confecção da peça, o que faz TODA a diferença...elas se animam e ficam extremamente orgulhosas de suas produções, além de conhecer e se interessar por um assunto novo... acredite, esses presentes terão outro valor!

Alguém empolgada em começar a fazer roupas para os pequenos??


Evolução dos Coletes! Descobri esse molde no inicio do aprendizado de costura e gostei tanto que saí costurando coletes para todos os bebês que conhecia e como resultado melhorei minhas costuras e recebi um montão de carinho e elogios de volta! 

Beijoca!
Ana

14 de abr de 2014

Costuras da Semana!

Olá!

Depois de uma semana de algumas costuras concluídas (yay!) semana passada foi uma semana de continuar costuras mais detalhadas.

Na aula de Patchwork, prosseguimos com os trabalhos em Foundation. Terminei o bloco com os dois carretéis:

Fofura!

Agora estou no segundo bloco, que formará um pote decorado com botões, logo mostro!

Na aula de costura, retomei a minha blusa preta de seda. Fechar a blusa foi rápido, já os detalhes de gola e punhos consumiram a aula toda... A gola vai precisar ser refeita pois ficou muito alta e repuxou a blusa para cima. Igual aconteceu com a minha blusa Sencha, lembra? Pois bem, está confirmado que, além do meu pescoço não ser fininho, toda a parte de cima, do pescoço ao final do ombro é larga e alta. Essa questão da minha anatomia é que causa esse "problema". Provavelmente por isso sempre me senti melhor com roupas não muito fechadas no pescoço (momento de descobertas, rs). Nesta semana, vamos fazer uma nova gola e não deixá-la muito alta, aí vai dar tudo certo!

Em casa, voltei para o meu vestido Crepe, que ficou parado por vários dias. Resolvi terminá-lo esta semana pois não gosto de ficar com trabalhos parados e porque quero usar em alguma das reuniões da minha família nesta Semana Santa.




A segunda versão do vestido ficou bem melhor que a primeira, não vejo a hora de usar!

Com essas peças em dia, finalmente vou dedicar um tempo para testar e treinar na minha máquina de overloque, já estava mais do que na hora! Comprei mais linhas e fios porque sem eles eu não tenho como começar...

Por enquanto é isso!
Boa semana mais curta e boas costuras!
Beijos!

11 de abr de 2014

Das antigas: aparelho de ziguezague automático Singer

Olá!

Eu contei dia desses (aqui) que eu comprei um apetrecho vintage para a minha Velhinha, um aparelho para fazer ziguezague. Eu sempre tive curiosidade como é que uma máquina que só costura reto passaria a costurar "para os lados", sabe?

Pois bem, dia desses, a imagem da caixinha me saltou aos olhos no Instagram do Superziper. Eu já tinha ouvido falar do aparelhinho antes, mas naquela hora me deu um estalo de ir atrás (detalhe, no mesmo dia que comprei minha máquina de overloque). A Andrea me deu o contato, liguei lá e pedi para reservar.

Comprei feliz da vida em uma loja de antiguidades na Lapa, pertinho do Senac de lá. Fui super bem atendida e acabei trazendo também duas caixinhas extra de discos-matrizes:


Em casa, antes de sair costurando com as pecinhas lindas, li o manual de como instalar e como manusear os discos.


Como máquinas bem antigas originalmente só costuram reto, elas só possuem ajuste de comprimento do ponto. O aparelho passa a oferecer a regulagem de largura do ponto (entre W, M e N, que compreendi como sendo Wide, Medium e Narrow - Largo, Médio e Estreito). A outra variação é o desenho formado pelo ponto, que você consegue ao trocar os discos.

O encaixe do aparelho lembra muito o encaixe do pé para quilt reto, que usamos para que camadas grossas deslizem por igual. Prende-se no parafuso que segura a agulha (à direita) e no parafuso que prende o pé calcador (à esquerda).

1 - Parafuso que segura o ajuste da largura do ponto (placa de metal vazada)
2 - Braço que prende o aparelho ao parafuso da agulha
3 - Parafuso que prende o aparelho à coluna do pé calcador
4 - Disco matriz, já instalado.

O manual veio super explicado (#ficaadicasinger #volteaosbonstempos), tanto para montar o aparelho na máquina de costura e trocar os discos quanto para mostrar os pontos que cada disco faz e em que tipo de costuras podem ser usados.



  
 Olha que graça a explicação deste ponto e as sugestões de uso?

À medida que você acelera a máquina para costurar, a engrenagem comandada pelo disco direciona o pé calcador de forma a montar o desenho pretendido. Por isso o disco vai girando enquanto o pé calcador desloca para a esquerda e para a direita. Uma engenhoca muito interessante!

Nos primeiros testes, usei um tecido de algodão bem fininho. Como a minha máquina trepida um pouco por ter motor elétrico, achei difícil controlar e deixar os pontos bonitinhos e sem franzir o tecido mais delicado. Ainda assim, fiz este primeiro vídeo:


Depois, retomei os testes dos discos em um pedaço de linho, um pouco mais grosso. Consegui um resultado um pouco melhor, que dá para ver nesta amostra:

Só faltou fazer mais reto, rs!

Numa terceira rodada de testes, que eu fiz com a intenção de gravar um outro vídeo, só que com a câmera, mas não tinha ângulo para segurar a câmera ou prendê-la enquanto pilotava a máquina.... Produzi um "catálogo"com amostras (onde anotei as combinações de largura e comprimento de ponto), caso eu queira repetir. Ficou assim:
 

No fim das contas, não queria deixar esse post sem alguma coisa além das amostras para mostrar. Peguei um quadrado de linho, colei uma entretela atrás e fiz a volta com o disco do "ponto dominó". Acabou virando um porta copos, rs!


Minha Velhinha foi comprada pela minha mãe e meu avô em 1962. Será que eles imaginavam que ela estaria em pleno funcionamento em 2014, com peças legais como essa e com motor?

Como admiradora de certos tipos de antiguidades, inclusive as que estejam ligadas à costura, fiquei bem feliz por encontrar este aparelho em ótimo estado, praticamente novo (se não estava sem uso) com manual de instruções e até os certificados de compra do ano de 1959!


Muito legal, né?!
Eu amei!

Beijos!

Poderá também gostar de:

Related Posts with Thumbnails